A Falta de Tempo Acaba com a Criatividade

A falta de tempo, como já falei em vários artigos anteriores, é uma constante no cotidiano de muitos, e com certeza, se você não passa por essa falta de tempo, conhece alguém que passa.

E uma coisa que ocorre, e muitos não percebem, é que essa tão comum falta de tempo acaba com a criatividade.

Quer ver como isso acontece?

Isso é bem simples: Vamos considerar que, de todas suas tarefas com são feitas com frequência (pode ser diariamente, semanalmente, etc.) tem uma que é muito complicada, ou mesmo chata, e você vive buscando um modo de fazê-la diferente.

Porém, apesar de você tentar fazer diferente, como sempre anda sem tempo, a tarefa normalmente é executada, mas não há uma reflexão sobre “o que pode ser mudado na tarefa, para que ela traga satisfação em sua execução, ou seja, feita de forma mais rápida”.

Por que não há essa reflexão?

A Falta de Tempo Acaba com a CriatividadeNa verdade não é que sempre não há essa reflexão – aquele momento em que se para alguns minutos (ou horas), tentando melhorar a forma de execução das tarefas. Mas o que acontece é que sempre se está focado em terminar a tarefa, de modo a chegar no “produto final” dela, e se você deixar de fazê-la no momento para gastar um tempinho pensando na formulação de uma prática melhor que a atual, alguém com certeza ficará no seu pé.

Além disso, que te solicita algo pensa só no produto final, e não pensa que, se você melhorar um processo, poderá ganhar tempo e até realizar mais atividades!

O que fazer então?

Parar um pouco e pensar em modos diferentes de fazer o que sempre é feito – é claro que a solução do problema não vem de forma rápida, como disse antes, muitas vezes é preciso parar e ficar “mastigando” o problema, de modo que a solução em breve aparece.

Há tempos atrás tinha uma tarefa que era muito chata, e que me consumia um dia inteiro de trabalho (8 horas), sendo que todo mês eu tinha que fazer essa tarefa. Toda vez que a realizava, pensava: “Será que estou fazendo do melhor jeito?”, “Será que não há um modo mais prático de fazer tal tarefa?”.

Certo dia resolvi parar para “mastigar” o problema, tentando observá-lo por outro ângulo. Essa “parada” no trabalho, entre pensamento e desenvolvimento, foram 3 dias – ou seja, 24 horas trabalhando numa solução melhor que a existente para o problema.

E qual foi o ganho? Minha tarefa, que antes era realizada em 8 horas, passou a ser realizada em 1 hora, com a mesma qualidade que antes! Vale a pena destacar que antes o trabalho era todo manual, e agora ele passou a ser executado quase que automaticamente pelo MS Excel (viva ao curso de Excel avançado que fiz, risos).

E se for na ponta do lápis a relação tempo gasto com a nova solução e o tempo economizado, as 24 horas que foram gastas no desenvolvimento da solução foram “pagas” praticamente em 3 meses – lembre-se: foram economizadas 7 horas na atividade, e em 3 meses dá um total de 21 horas.

Resumo da história

Sem dúvida vale a pena parar para pensar e tentar exercer a criatividade, de modo a buscarmos novas soluções para problemas antigos. Você se surpreenderá quando perceber que algo complicado pode ser tornar fácil, desde que se “mastigue” um pouco o problema.

E já aconteceu algo parecido com você?

1 Comment

Deixe uma resposta

CommentLuv badge

  • RSS
  • Twitter