O Ser Humano e a Criação de Necessidades

O ser humano sem dúvida é uma das mais fantásticas criaturas no mundo: sua capacidade de pensar, de se relacionar, aprender e ensinar, etc. Infelizmente nem todas essas características aparecem de forma positiva; porém, possuí-las e ter a capacidade de adaptação, de forma a torná-las positivas, é um ótimo começo.

Além dessas características, há uma que me impressiona: a capacidade que temos de criar necessidades. Como assim? Explico.

Tudo que possuímos com relação a bens materiais, durante nossa vida, pode ser dividida em duas categorias: desejos e necessidades.

Desejo é, basicamente, o ato ou o efeito de desejar, é tudo aquilo que aspiramos, um dos insumos da ambição. Um carro novo, mais potente; uma casa nova, maior e com dois andares; um computador de última geração, em que se pode jogar os jogos mais modernos, tudo isso pode ser definido como desejo.

Necessidade é tudo o que é extremamente necessário (parece redundante, mas essa é a definição do dicionário), exigência. Alimentar-se bem, ter uma casa para morar, saúde, emprego, condições de sustentar dignamente uma família, tudo isso pode ser definido como necessidade.

E como ocorre a criação de necessidades?

Essas necessidades criadas são desejos disfarçados. Quando se deseja veemente uma coisa, como por exemplo, um telefone celular de última geração, inconscientemente a pessoa o prioriza de tal forma, achando que é uma necessidade, seja porque seus amigos têm um telefone parecido, seja porque é uma entusiasta por tecnologia.

Mas, na verdade, para a maioria das pessoas, a necessidade é de se ter um telefone celular, com uma agenda de grande capacidade e que envie e receba mensagens SMS (Short Message Service, ou o famoso “torpedo”), no máximo. Tirar fotos, bluetooth, jogos e demais “acessórios” são simplesmente coisas dispensáveis em um aparelho que serve para fazer ligações. Porém, a partir do momento em que possuímos e utilizamos, aí já virou “necessidade” mesmo.

Isso também pode ser visto nas pessoas que possuem telefones caros, e não sabem utilizar 1/4 de suas funções. Não é raro ouvir “eu só utilizo para fazer ligações”. Então, por que ter um telefone com tantas funções? Aí entra outro transformador de desejo em necessidade: o status.

Outro item que passou a ser “necessário” é o carro. Na verdade, possuir um carro é fantástico, pois nos permite ir ao trabalho com maior conforto e rapidez, além de se fazer muitas outras coisas. Mas, e as pessoas que possuem carros caros, sem ter um mínimo de condições? Foi o tal de status que passou por ali.

Então, devemos suprir todas as nossas necessidades, para então satisfazermos nossos desejos?

Não. Isso porque, assim como os desejos, possuímos muitas necessidades. Porém, é muito importante que as necessidades básicas sejam supridas.

O que se vê por aí são pessoas que compram telefones e carros muito caros, sem terem condições mínimas estruturais dentro de casa.

O Ser Humano e a Criação de Necessidades - iPhone

Não me esqueço da reportagem do primeiro capixaba que comprou um iPhone. Saiu todo feliz e sorridente em um grande jornal do ES. De repente, todo mundo passou a “necessitar” de um iPhone. Será mesmo que essa pessoa tinha condições de comprar um telefone desses? Na reportagem ele tinha um jeito humilde. Bem, as aparências enganam, talvez ele tivesse realmente condições.

O recado que deixo é verificar se, ao realizar um grande desejo, uma necessidade básica será deixada para trás. Lembre-se que a realização dos desejos é necessária para o crescimento e aumento da auto-estima, porém, tal realização não pode ser feita sendo que o básico em sua vida está faltando.

Fonte da imagem: http://www.pcsaudavel.com

1 Comment

Deixe uma resposta

CommentLuv badge

  • RSS
  • Twitter