Vibracall – Uma Questão de Educação

Atualmente, com a popularização e barateamento dos telefones móveis, os famosos e conhecidos “celulares”, é muito difícil andar pela rua e não encontrar alguém utilizando esse fantástico aparelho. Se na rua é fácil encontrar alguém falando ao celular, imagine no meio empresarial, onde a necessidade de contato online é cada vez maior.

Vibracall - Uma Questão de EducaçãoÉ fácil perceber, principalmente antes e depois de reuniões, muitas pessoas falando ao celular. Até aí tudo bem, mas há um grande inconveniente…

Quando o celular toca durante uma reunião

Nessa situação, há basicamente 4 tipos de pessoas:

  1. As que não utilizam o vibracall, o telefone toca bem alto (geralmente um funk ou uma música bem engraçada, daquelas que fazem a atenção da reunião se dispersar facilmente), e a pessoa desliga o telefone, de modo a retornar a ligação posteriormente;
  2. As que não utilizam o vibracall, o telefone também toca bem alto (assim como a pessoa descrita anteriormente) e essa pessoa atende, falando mais alto que o ringtone do celular. Esse tipo de pessoa tem uma classificação beirando o tipo “sou o centro da reunião mesmo, então não há problema em interrompê-la!”;
  3. As que utilizam o vibracall e atendem mesmo assim – essas também atrapalham a reunião, porém menos que as pessoas dos tipos 1 e 2;
  4. As que utilizam o vibracall, conferem quem está ligando e retornam posteriormente.

No post Você Sabe Escutar as Pessoas? há uma discussão sobre pessoas que interrompem as outras, e a situação descrita anteriormente é muito similar – a pessoa não interrompe o diálogo expondo seu ponto de vista, mas interrompe falando ao celular, ou deixando-o tocar durante uma reunião.

Será que é necessário criar um manual de boas maneiras em reuniões? Por que muitas pessoas agem assim?

Essas são mais questões que vão além da imaginação… Talvez seja só uma questão de “desconfiômetro”. É claro que há situações em que um telefonema deve ser atendido prontamente (por exemplo, uma emergência na empresa), mas não me refiro a essas situações – refiro-me às mais comuns.

Devido a isso, afirmo: Utilizar o vibracall, principalmente durante reuniões, é uma questão de educação, de bom senso. Só não concorda com isso as pessoas que interrompem as outras sem se importar, pois agindo assim elas também não se importam de serem interrompidas.

1 Comment

Deixe uma resposta

CommentLuv badge

  • RSS
  • Twitter