Por que Muitos Alunos Não Prestam Atenção nas Aulas?

No último sábado participei de uma aula interessante sobre administração e comércio exterior. Essa aula, ao invés de ser lecionada em uma sala de aula comum, foi lecionada em uma escuna em um passeio pela baía de Vitória (ES), com uma das turmas de administração de uma grande faculdade da Serra (ES), e fui acompanhar tal aula.

O interessante dessa aula foi, além do passeio, é claro :D, que o professor, a cada porto ou terminal portuário que passávamos, contava um pouco da história envolvendo tal porto, além das principais mercadorias que passavam por lá, estrutura, importância para a região, etc. Foi realmente muito bacana, tendo em vista que não fiz administração e também sei muito pouco sobre comércio exterior.

Em uma das explicações do professor, percebi que no máximo 10 alunos prestavam atenção, sendo que na embarcação havia mais de 40 alunos, o que me deixou muito chateado. Nesse momento, surgiu em meu pensamento uma pergunta…

Por que a maioria dos alunos não prestava atenção?

Uma pergunta difícil de responder…

Quando era aluno percebi que em várias disciplinas era difícil prestar atenção, apesar de tentar o máximo fazê-lo; porém, é um desrespeito ao professor nem fazer esforço para prestar atenção, pois ele gastou tempo, recursos e criatividade para elaborar tal aula.

O que várias vezes percebi é que as aulas mais difíceis de prestar atenção são as que a didática do professor é muito ruim ou o aluno vê pouca aplicação prática da matéria lecionada.

Por que Muitos Alunos Não Prestam Atenção nas Aulas? No caso de hoje acho que o que pesou para o pessoal não prestar atenção foi mesmo questão de postura, atitude, pois também há aquela parcela dos alunos que sabem que a matéria é importante, mas a levam “na flauta”. Tais alunos acham que para passar nas matérias basta tirar uma nota suficiente, mesmo que seja à base da “cola”, não interessando realmente em aprender o que foi dado na aula. Um equívoco muito grande, pois futuramente a teoria relativa à matéria poderá lhe fazer muita falta, surgindo mais um mau profissional…

Na minha opinião, para que tais problemas sejam minimizados, algumas medidas podem ser tomadas (pelos devidos responsáveis):

  1. Os professores deveriam ter aulas de didática e/ou pedagogia (caso não tenham), pois ter somente conhecimento técnico sobre algum assunto não é garantia que tal pessoa saiba transmitir esses conhecimentos da melhor forma. É importante destacar que o professor é peça chave no desenvolvimento de um profissional, e é de alguma forma responsável para que não haja profissionais ruins.
  2. Tentar conscientizar os alunos que todas as matérias, em algum período em sua vida profissional, serão importantes. Há muitas situações, mesmo que não sejam na sua principal área de atuação, que tais conhecimentos poderão fazer a diferença. E o aluno, que passou com conhecendo o “basicão”, seja por não prestar atenção, seja por não dar a devida importância à disciplina, não consegue dar o retorno esperado em seu trabalho, o que pode prejudicá-lo sobremaneira.
  3. Tentar conscientizar os alunos que, além da importância do item 2, é um tremendo desrespeito não prestar atenção em uma pessoa, quando essa fala (assunto discutido no artigo Você Sabe Escutar as Pessoas?).
  4. Conscientizar que todos, como profissionais, somos responsáveis de alguma forma por vidas, e que profissionais ruins podem prejudicar de alguma maneira várias vidas.

Apesar de não ser professor, e nem mestre em assuntos relativos à educação, esses são pontos de vista de um eterno aluno (pois nunca deixamos de aprender), que visa valorizar ao máximo todos os profissionais responsáveis pelo crescimento profissional de outras pessoas.

Categories: Opinião

Deixe uma resposta

CommentLuv badge

  • RSS
  • Twitter